Aula em praça pública de Rio das Ostras chama atenção para valorização...

Aula em praça pública de Rio das Ostras chama atenção para valorização dos professores e efeitos da Reforma Trabalhista

A meta é debater a resistência diante dos retrocessos causados pela Reforma Trabalhista, a valorização dos professores e a luta nos processos de negociação da Campanha Salarial 2018.

0
Compartilhar
Aula em praça pública de Rio das Ostras chama atenção para valorização dos professores e efeitos da Reforma Trabalhista/ Foto: Reprodução Internet

Quem passar pelo Centro de Rio das Ostras, no próximo sábado (19), vai conferir uma aula pra lá de diferente, que será realizada na Praça José Pereira Câmara. A ação será promovida pelo Sinpro (Sindicato dos Professores de Macaé e Região), a partir das 10h. O objetivo da aula pública é debater a resistência diante dos retrocessos causados pela Reforma Trabalhista, a valorização dos professores e a luta nos processos de negociação da Campanha Salarial 2018. O ato com atividades lúdicas e discussões, vai reunir professores, estudantes, pais e responsáveis, além da sociedade em geral. Neste ano, a aula reforça o tema “Apagar o professor é apagar o futuro”.

Na ação a população poderá participar de oficinas de pintura e leitura, além de bate papos. Segundo o presidente do Sinpro de Macaé e Região, Cesar Gomes, a aula pública amplia os espaços de discussão e envolve a sociedade na luta pelos direitos da categoria. “É uma oportunidade para provocarmos uma reflexão nas pessoas. É um dia para uma conversa informal sobre assuntos que tanto afetam a vida dos brasileiros, como a Reforma Trabalhista que tem prejudicado a vida dos trabalhadores”, disse.

De acordo com o sindicato, a atividade faz parte da Campanha Salarial do Sinpro Macaé e Região na Educação Básica, Base Estendida, Sesi e instituições de ensino superior. Para este ano, o Sindicato trabalha com o índice de 6% para os reajustes, além de inserir nas discussões a manutenção dos direitos já conquistados nas convenções e acordos coletivos. “Estamos sempre nos movimentando e mobilizando para avançar ainda mais e evitar o desmonte da educação. Lutamos pela qualidade do ensino para os estudantes e um bom ambiente de trabalho aos docentes”, completou Cesar.

Aula já foi realizada pelo Sindicato em anos anteriores/ Foto: Divulgação

Em 2018, a aula pública vai reforçar a campanha “Apagar o professor é apagar o futuro”, lançada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (Contee). O objetivo é alertar sobre o rebaixamento da formação, fechamento de licenciaturas, magistério tratado como “bico”, tentativas de censurar e amordaçar docentes e outras formas de desvalorização.

Deixe uma resposta