Filhote de baleia encalhado na Praia Rasa em Búzios é devolvido ao...

Filhote de baleia encalhado na Praia Rasa em Búzios é devolvido ao mar

Animal ficou encalhado na areia por quase 24 horas.

1
Compartilhar
Filhote de baleia encalhado na Praia Rasa em Búzios é devolvido ao mar/ Foto: Bebeto Karolla/Folha dos Búzios

Uma boa notícia! O filhote da baleia da espécie Jubarte, que estava encalhado desde quarta-feira (23), foi devolvida ao mar na tarde desta quinta-feira (24) na Praia Rasa em Búzios. O animal foi recolocado na água por volta das 16h com ajuda da população. Foram utilizadas três retroescavadeiras durante a ação.

O animal de aproximadamente 10,3 metros e quatro toneladas ficou encalhado na areia por quase 24 horas.

RELEMBRE – O filhote de baleia estava encalhado desde a tarde de quarta-feira (23). Biólogos, Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, banhistas e moradores da região estiveram no local e ajudaram a recolocar o animal no mar.

Segundo especialistas, o filhote pode ter se perdido de sua família quando fazia a travessia, passando pelo litoral do Rio com destino a Antártida. A migração acontece nesta época.

Empresários contrataram uma retroescavadeira, para retirar a areia ao redor do animal. Segundo populares, a prefeitura de Búzios não ofereceu suporte para ajudar o filhote de baleia.

PREFEITURA RESPONDE – Em nota a prefeitura informou que ao tomar conhecimento do caso, nas primeiras horas da noite de quarta (23), tomou providências imediatas, mobilizando a própria equipe e solicitando a intervenção de demais entidades competentes. Segundo o posicionamento, foi acionada a Scitech Consultoria Ambiental, entidade responsável pelo desencalhe de grandes mamíferos na região, e esta prontamente enviou biólogos e veterinários ao local, que monitoram o cetáceo desde a noite de quarta.

Após análise da situação, os especialistas orientaram a não amarrar ou empurrar a baleia para o mar, tampouco tentar rebocá-la com embarcação, o que só resultaria em mais estresse ou maiores danos à sua estrutura corporal. O ideal seria esperar pela maré alta, pois caso a baleia estivesse em condições de retornar ao mar, ela o faria sozinha.

Seguindo a orientação, esperou-se a maré mais alta, às 3h20 da madrugada – contudo a baleia não esboçou reação. Nesse momento, movidos pela comoção, contrariando a recomendação dos biólogos, a população entrou na água, acompanhada pelo Secretário do Meio Ambiente e a equipe da Prefeitura, mas, ratificando a análise dos técnicos, a tentativa restou inócua. A Prefeitura ressaltou que que em momento algum a Prefeitura se negou a autorizar qualquer iniciativa de viabilizar o salvamento da baleia, ao contrário, tão logo foi solicitada a permissão para uma escavadeira particular abrir canais para facilitar a saída do animal, foi autorizada pelo Secretário de Meio Ambiente, via telefone e e-mail.

A Prefeitura ainda ressaltou que entende o sentimento de frustração da população, mas cumpriu com o que a competia, seguindo determinações dos especialistas, sendo certo que se trata de um evento da natureza sobre o qual pouco se pode interferir.