Sindicatos oferecem em Rio das Ostras peça teatral em comemoração ao Dia Internacional da Mulher

564
Peça vai abordar reflexão sobre diversas formas de violência contra a mulher_Foto_Divulgação

Uma abordagem para o olhar crítico sobre os desafios sociais, econômicos, políticos, raciais e culturais das mulheres na sociedade atual. É com esse objetivo que a peça teatral “Encruzilhada Feminina” chega ao Teatro Popular de Rio das Ostras na sexta, dia 6 de março, às 20 horas. O espetáculo é gratuito para os professores, funcionários das redes pública e privada de ensino, bem como para os docentes da Universidade Federal Fluminense e sindicalizados. A realização do evento é do Sindicato dos Professores da Rede Particular de Ensino de Macaé e Região (Sinpro Macaé e Região), Sindicato dos Profissionais de Educação do Rio de Janeiro (Sepe) – Núcleo Rio das Ostras/Casimiro de Abreu e Associação dos Docentes da Universidade Federal Fluminense (Aduff).

Em sete atos, sete experiências, sete encruzilhadas no corpo de uma única mulher em cena, a peça aborda histórias, superações e preconceitos que são atravessados pelas mulheres na sociedade ao longo da vida, principalmente as negras. Para isso, se utiliza de questões como religião, ingresso na universidade, mercado de trabalho, política e sexualidade. São inquietações trabalhadas por meio da reflexão crítica de situações que vêm sendo naturalizadas no dia a dia, provocando crescentes índices de violências.

De acordo com a presidente do Sinpro Macaé e Região, Guilhermina Rocha, o objetivo é evidenciar o que as mulheres, em muitas esferas sociais, têm sofrido com o racismo “explícito e implícito”. “O Sinpro sempre realizou e apoiou iniciativas que trazem reflexões sobre as condições das mulheres na sociedade, principalmente, dando visibilidade a luta de cada uma delas e a superação, diante das adversidades. Queremos provocar uma mudança cultural na forma como somos tratadas, aumentando o respeito e, ao mesmo tempo, diminuindo os índices de violência contra nós”, disse, ao lembrar também da campanha dos “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres”, apoiada todos os anos pelo Sinpro. 

Para o coordenador geral do Sepe Rio das Ostras e Casimiro, Luciano Barboza, as mulheres são protagonistas das lutas, incluindo as realizadas por intermédio de sindicatos como Sinpro e Sepe. “Para valorizar ainda mais a luta feminista e as comemorações ao 8 de março, fizemos essa parceria, trazendo essa peça tão importante para contribuir na formação política das pessoas, em especial os profissionais da educação e os estudantes. Não é a primeira vez que nossos sindicatos se organizam para oferecer mais cultura à população da região. Sempre articularemos atividades nesse âmbito, por entendermos que o processo educacional se dá também fora de sala de aula”, declarou.

Segundo o representante do Conselho de Representantes Aduff-Sind, Edson Teixeira, toda iniciativa que tenha como fio condutor a luta contra as opressões, merecem o devido apoio da Aduff. “Ainda mais uma iniciativa em que a arte é o canal de diálogo sobre um tema imprescindível: a questão de gênero”.

O Teatro Popular de Rio das Ostras fica na Avenida Amazonas s/n, Extensão Novo Rio das Ostras. Entrada franca para Professores das redes pública e privada, docentes da Universidade Federal Fluminense e sindicalizados. A Classificação é de 12 anos.