Sindicato de professores quer retomar diálogo com Universidade Estácio de Sá para consolidar direitos

Sinpro Macaé e Região realiza assembleia nesta segunda-feira, dia 7, na defesa dos direitos sociais e econômicos da categoria

400
Sindicato de professores quer retomar diálogo com Universidade Estácio de Sá para consolidar direitos/ Foto: Internet

Na tentativa de fechar as negociações com a Universidade Estácio de Sá (Unesa), o Sindicato dos Professores de Macaé e Região realiza na próxima segunda-feira, dia 7, às 17 horas, uma assembleia com os professores da instituição de ensino. O encontro será na própria universidade.

Na próxima assembleia, haverá discussão e deliberações sobre o reajuste dos professores, relacionado ao dissídio dos anos de 2018 e 2019. Os docentes analisarão também ponto a ponto da minuta em negociação, com cláusulas a serem mantidas no Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2018-2020.

A presidente do Sinpro Macaé e Região, Guilhermina Rocha, comenta ainda que haverá deliberação e autorização prévia sobre contribuições sindicais, bem como a busca para que os professores autorizem a diretoria do Sindicato a instaurar processo de Dissídio Coletivo, firmar Convenção Coletiva de Trabalho, Acordo Coletivo de Trabalho e Termos Aditivos, sem outra assembleia nos locais de trabalho nos termos dos artigos 611 § 1º E 857 da CLT. “Há um ano, a Unesa tenta impor perdas, mas a categoria, por meio do sindicato, resiste. Precisamos salientar que é a categoria que deve decidir se aceita ou não a proposta, cabe ao patrão aceitar o que foi negociado”, completou ao afirmar que o fórum de deliberação é a assembleia da categoria.

Fonte: Assessoria de Comunicação Sinpro