Safra de feijão tem expectativa de 54 toneladas em Rio das Ostras

424
Plantio de feijão Cantagalo27 05 19 Mauricio Rocha (21)

A produção de feijão em Rio das Ostras pode totalizar 54 toneladas, segundo o Departamento Agropecuário (Deagro) da Secretaria de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca. Essa semana foi encerrada a segunda etapa do Projeto Feijão. Depois do período de corte e preparo de terra, iniciado em março, o Deagro está terminando o plantio de duas diferentes variedades de feijão (ouro vermelho e esplendor). Foram beneficiando 59 produtores em uma área aproximada de 60 hectares.

“Inicialmente, nossa estimativa era beneficiar os 75 produtores que aderiram ao projeto. Os 30 primeiros que se cadastraram receberam maquinário e adubos, mas todos teriam sementes e assistência técnica. Infelizmente, alguns desistiram de participar. Precisamos replantar algumas áreas atingidas pelas fortes chuvas do último período, mas cumprimos nosso cronograma e, do próximo mês até o fim de agosto, será realizada a colheita”, explica Ivan Noé Freitas, diretor do Deagro.

O engenheiro agrônomo do Deagro, Renato Ferreira, está dando orientações técnicas aos produtores. “Esse é o melhor período do ano para plantar feijão na Cidade e acreditamos que teremos uma produtividade alta”, comemora Renato. Ele informa que cada hectare recebeu 40 quilos de sementes e 200 quilos de adubos. Depois do plantio, os técnicos orientam os produtores a fazer uma adubação de cobertura, garantindo maior produtividade.

Como contrapartida, os agricultores que aderiram ao Projeto entregam 10% da colheita para a Prefeitura. Esse feijão passa por um melhoramento e é armazenado a baixa temperatura para servir de semente no ano seguinte. Toda a produção restante é comercializada pelo próprio produtor. Como forma de comemorar os bons resultados, a Administração Municipal realiza a tradicional Festa do Feijão em outubro.

Para escolher as variedades de feijão usadas no plantio, ouro vermelho e esplendor (preto), o Deagro realizou vários testes ao longo do tempo. As duas selecionadas foram as que mais se adaptaram à região, alcançando melhor germinação e maior produtividade, sendo também recomendadas pelas empresas de pesquisas agropecuárias Embrapa e Pesagro.