Policiais do 32º BPM são presos suspeitos de envolvimento em sequestro e extorsão

Os policiais presos durante o serviço, e que não tiveram as identidades reveladas, foram levados para a Prisão Militar de Niterói.

2006
Os policiais presos durante o serviço, e que não tiveram as identidades reveladas, foram levados para a Prisão Militar de Niterói.

Dois policiais foram presos nessa quarta-feira (8) durante o serviço, suspeitos de envolvimento em um caso de sequestro e extorsão, investigado pela 6ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM), em Campos. Os agentes são lotados no 32º Batalhão de Polícia Militar (BPM), em Macaé, A ocorrência envolve também comercialização ilegal de medicamentos e estaria sendo apurada, ainda, a participação de um agente campista na ação criminosa. Os policiais presos durante o serviço, e que não tiveram as identidades reveladas, foram levados para a Prisão Militar de Niterói.


O crime aconteceu na noite de 26 de março. Depois de ter negociado medicamentos em Campos, um homem foi abordado, no carro com a mercadoria, em Macaé. Ele foi levado para um local onde foi mantido em cativeiro. Para liberar o homem e a mercadoria, os PMs teriam exigido uma propina de R$ 30 mil.

A abordagem ao carro da vítima teria sido feita por dois policiais fardados. Entretanto, dois outros homens teriam participado, e a informação é de que seriam policiais da Segunda Seção (P2) do 32º BPM, porque estavam descaracterizados. Há probabilidade do envolvimento de alguém de Campos, que teria dado a “dica” do medicamento sendo levado para o outro município sem nota fiscal.

O homem que transportava a mercadoria foi mantido em cativeiro por quase cinco horas, até que o dono da farmácia que ia comercializar os medicamentos efetuou o pagamento da propina. O valor extorquido pelos policiais militares não foi o exigido inicialmente. O proprietário da farmácia teria pago R$ 12 mil no total.