Idoso morto por Covid-19 tem corpo trocado no Pronto Socorro e enterrado por engano em Rio das Ostras

Raymundo iria ser sepultado no Rio de Janeiro pela família, mas foi enterrado por engano no Cemitério do bairro Âncora em Rio das Ostras.

2246
Idoso morto por Covid-19 tem corpo trocado no Pronto Socorro e enterrado por engano em Rio das Ostras/ Foto: Arquivo Familia

Uma família descobriu que teve o corpo do parente que morreu trocado em Rio das Ostras. Os familiares de Raymundo Batista de Oliveira, foram descobrir que ele já havia sido enterrado por engano, quando a funerária chegou para a remoção no Pronto Socorro de Rio das Ostras, onde atualmente funciona como central para pacientes com COVID-19.

Segundo informações do funcionário da funerária que foi fazer a remoção do idoso na unidade, na tarde de hoje (20), o corpo que estava no necrotério era de Lúcia Freitas de Araújo. Ele afirmou ainda que na recepção, um funcionário teria o liberado para entrar no local sem nenhuma restrição, o que comprova total irresponsabilidade da unidade, segundo o funcionário da funerária.

Não conseguimos contato com os familiares de Lúcia Freitas de Araújo, que enterrou o corpo de seu Raymundo por engano, mas segundo informações, a unidade avisou a família, horas após o enterro, de que os corpos tinham sido trocados.

Ninguém do Pronto Socorro, sabia onde estava o corpo do Raymundo Batista de Oliveira, os funcionários ficaram sem explicações, nem os pertences do homem estavam na unidade. O paciente estava internado com COVID-19, resultado atestado no laudo médico apresentado a família, ele morreu na tarde de terça-feira às 14h25.

A prefeitura de Rio das Ostras emitiu uma nota, dizendo que a funerária assumiu o erro, levando o corpo errado, mas será que a responsabilidade seria somente da funerária? Por qual motivo não existia um funcionário no necrotério do Pronto Socorro, responsável pelo setor?

A nota ainda informa que a Administração Municipal vai afastar a direção e a coordenação do Pronto-Socorro, abrir um inquérito administrativo para apurar o fato e tomar as medidas cabíveis.

O jornalista Adriano Pereira, conseguiu com exclusividade os depoimentos dos familiares do paciente, veja: